COMER COM OS OLHOS – Por uma vida bem temperada

por Ronaldo Victoria

Saber usar –e principalmente conhecer– os temperos é que garante uma experiência gastronômica bem-sucedida. E, de quebra, deixa a vida mais agradável.

Essa é a tese defendida pelo filme grego “O Tempero da Vida”, um grande sucesso no circuito de cinema de arte e um bom exemplo da gastronomia como atração na tela grande.

A história é centrada no turco Vassilis (Tassos Bandis), dono de uma loja de temperos em Istambul. Patriarca de uma família de raízes gregas, ele transmite seus conhecimentos ao neto Fanis (Markos Osse e depois Georges Corraface).

O turco ensina os mistérios dos condimentos e a poesia que existe na culinária. Não demora para o garoto ficar apaixonado.

Fanis aprende que os alimentos despertam não apenas o paladar das pessoas, mas todos os outros quatro sentidos, até a audição. E que do resultado bom ou ruim das receitas depende muitas vezes o humor de quem as aprecia.

Cena de "O Tempero da Vida"
Preparando os pratos, cena de “O Tempero da Vida”

Tudo corre bem até que acontece uma crise diplomática entre Turquia e Grécia e o menino precisa viajar com os pais, deixando o avô, que poucas vezes viaja para rever o neto.

Em Atenas, Vassilis esquece as lições do avô, deixa a gastronomia de lado e passa a se dedicar à astronomia.

De repente, porém, sente que sua vida ficou sem graça. E precisa fazer alguma coisa.

“O Tempero da Vida” fala de coisas que todos compreendem, já que é comum uma pessoa apagada ser chamada de “sem sal”. Falta tempero, falta cor na vida dela.

E os condimentos não são importantes? É bom não esquecer que as especiarias eram disputadas a tapa pelas grandes potências. Resumindo: é um filme a ser revisto ou descoberto.

O Tempero da Vida, filme que chamou a atenção da crítica e do público
O Tempero da Vida, filme que chamou a atenção da crítica e do público

“O Tempero da Vida”

Título original: Politiki Couzina

Grécia, 2003, Colorido

Direção e roteiro: Tassps Boulmetis

Elenco: Georges Corraface, Tassos Bandis, Markos Osse, Renia Louizidou, Ierokis Michaelidis

Duração: 108 minutos, Gênero: romance

 

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

Anúncios

Diga aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s