COMER COM OS OLHOS – Uma pitada de tempero

por Ronaldo Victoria

Especiarias são uma boa desculpa para se fazer um filme excelente. Foi o que abordei na coluna passada: COMER COM OS OLHOS – Por uma vida bem temperada.

Ao pesquisar sobre temperos, me deparei com este trabalho muito bacana do site Coletivo Verde, que reproduzo aqui:

Por que os temperos, chamados de especiarias, eram tão cobiçados na Europa durante o tempo das Grandes Navegações? Em primeiro lugar, pela simples razão de que não podiam ser cultivados em solo europeu, por causa do clima frio. Em segundo lugar por uma questão econômica, já que a burguesia estava crescendo e as especiarias eram consideradas produtos de luxo.

Ou seja, o sabor de uma comida bem temperada é algo raro. Por isso, é legal conhecer esses temperos e saber como podem ser utilizados em seus pratos sem riscos:

Açafrão: Empresta sua cor vibrante para arroz, sopas, saladas e pães. Tem um perfume especial

Temperos do Rio, Diego Dacal, julho de 2010
Temperos do Rio, Diego Dacal, julho de 2010

Alecrim: O rei do perfume, seu aroma combina bem com massas.

Coentro: Muito utilizado no Nordeste, tem sabor marcante. Combina com peixes, frutos do mar e legumes.

Cravo: Sabor doce, quase quente. Ideal para arroz-doce, pão de mel, pudins e compotas.

Cardamomo: Pelo perfume e sabor refrescante, é muito usado em pães, pratos com frutas, batatas e pratos indianos.

Canela: Saboriza compotas, marinados, picles, ensopados, bolos, pães e biscoitos.

Cominho: É essencial no curry. Também utilizado em legumes, ovos, sopas e pães.

Dill: Com o sabor mais voltado para o anis, é mais indicado para peixes em geral e omeletes.

TemperosErva doce: É ideal para saladas, além de peixes grelhados ou cozidos em papelote.

Estragão: Bom para o preparo de molhos, pratos com ovos, saladas e sopas.

Mostarda: Fica uma delícia acompanhando batatas cozidas e também em conservas.

Noz moscada: Ideal para doces e massas. Mas só deve ser ralada na hora da utilização.

Páprica: Utilizada no lugar da pimenta seca, dá um sabor especial ao prato.

Sálvia: Seu sabor ligeiramente amargo combina com legumes secos, queijos e molhos.

Tomilho: Apreciado na culinária europeia, enriquece sopas, molhos de tomate e legumes em geral.

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

*Foto de Diego Dacal com licença Creative Commons.
Anúncios