RECEITA – Calda de vinho sofistica flan de coco

Um simples flan de coco pode ganhar ares chiques com uma calda diferente. Com vinho, então, nota mil, porque até a combinação de cores fica clássica e aguça o paladar.

A receita é uma criação inspirada no livro de Evanilda Perissinotto Prospero, “Gastronomia: Saber e Cozer”.

E realmente é muito fácil de fazer. Vamos lá:

Vidro de leite de coco
Vidro de leite de coco

Ingredientes:

  • 1 pacote de gelatina neutra incolor
  • 1 xícara de água para dissolver  a gelatina
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite sem soro
  • 1 lata de leite
  • 1 colher de essência de baunilha
  • 1 vidro de leite de coco

Modo de fazer:

Coloque a gelatina na água e leve ao banho-maria para dissolver.

Bater todos os ingredientes no liquidificador.

Pacotinho de gelatina em pó incolor sem sabor
Pacotinho de gelatina em pó incolor sem sabor

Numa forma de flan ou de pudim, pincele óleo no fundo e nas laterais e coloque a mistura pronta.

Leve para a geladeira por no mínimo 5 horas ou de um dia para outro.

Calda:

  • 2 xícaras de vinho tinto suave ou vinho do Porto
  • 1 xícara de água
  • 1 xícara de açúcar
  • 2 colheres rasas de amido de milho (Maizena)

Numa panela média, coloque os ingredientes e mexa bem até engrossar (não muito).

Leve na geladeira para gelar.

Com cuidado, retire o flan da forma e despeje a calda sobre o doce.

Sirva após almoço ou jantar.

O branco do flan em contraste com o vinho fica bem elegante
O branco do flan em contraste com o vinho fica bem elegante

Post originalmente publicado no blog parceiro vale mais e adaptado para Cozinha Brilhante. Enviado pela seguidora do blog Helaine Carrer

Anúncios

Bolo de limão com mel

Limão voador, por Luciano Meirelles, agosto de 2008
Limão voador, por Luciano Meirelles, agosto de 2008

Não tem jeito. Gosto de bolos porque além de sinônimo um lanche maravilhoso, trazem a lembrança da mãe cozinhando em casa e dos perfumes que exalam a partir do forno para toda a casa.

Hoje esta receita achei no blog Mel do Sol, que é muito bem feito.

Que seja uma boa inspiração para todos nós!

Mel do Sol

bolomelINGREDIENTES

  • 250 gr. De Margerina
  • 1/2 kg de Mel
  • 5 Ovos
  • Raspa de 2 limões
  • Sumo de 4 limões
  • 250 gr de Farinha de trigo
  • 2 Colheres de fermento
  • 1 Pitada de sal

MODO DE PREPARO

1- Juntam-se todos os ingredientes e batem-se muito bem.
2- Deita-se a mistura numa forma untada e polvilhada com farinha e leva-se ao forno a cozer durante uma hora.
3- Retira-se do forno e depois de arrefecido, pica-se o bolo com um garfo, rega-se com 1 dl de sumo de limão e polvilha-se com 100g de açúcar em pó.
4- Só depois se retira da forma.

Hmmmm… água na boca! 😀

Ver o post original

DELÍCIA – Coalhada fresca, facílimo de se fazer em casa

O calor já tá batendo em boa parte do país. É, o verão tá pra chegar oficialmente. E aí que bate aquela vontade de comer algo gelado, que pode tanto ser salgado, ou doce. Bem, estou falando de coalhada, é o leite coalhado que é comida típica no mundo árabe.

Nada melhor que fazer uma bela porção de coalhada fresca em casa mesmo. Ah, é muito, muito fácil.

Você vai precisar de:

+ 1 copo de 170 gramas de coalhada pronta, dessas que a gente compra no supermercado.  Escolhi a Ati Latte na versão desnatada _você pode usar a versão integral, claro. Copo de coalhada fresca

+ 1 litro de leite que fica na geladeira do supermercado. Pode ser de saquinho ou embalado em garrafa de plástico branco. Sempre uso o Xandô desnatado (também pode usar o integral).

Nunca experimentei usar leite de caixinha tetrapack. Mas um dia vou usar e contar aqui (estou louca pra fazer isso).

+ Uma tigela de vidro tipo Marinex ou de louça.

+ Uma tampa para a tigela ou um prato raso que cumpra esse papel.

Como fazer:

Leite Xandô desnatadoFerva o leite com o cuidado de mexer sempre para não queimar na base da leiteira. Cheiro e gosto de queimado ninguém merece.

Dissolva duas colheres da coalhada comprado no litro de leite fervido
Dissolva duas colheres da coalhada comprado no litro de leite fervido

Depois de fervido, verifique a temperatura do leite de forma que esteja entre o morno e o quente. Em outras palavras, quando você suportar o leite nas costas da sua mão sem queimar. Este é o momento certo para utilizá-lo na feitura da coalhada.

Coloque o leite na tigela ou recipiente de vidro. Para um litro de leite, pegue 2 colheres de sopa cheias da coalhada comprada. Misture muito bem até dissolver.

Coloque a tampa do próprio recipiente ou utilize um prato que encaixe bem.

Envolva o leite morno/quente com a coalhada dissolvida em uma toalha para manter o calor por mais tempo
Envolva o leite morno/quente com a coalhada dissolvida em uma toalha para manter o calor por mais tempo – o forno desligado, claro, é um bom lugar para a coalhada ficar pronta

Envolva o recipiente com o leite ainda quente com uma toalha grossa e deixe em um canto sossegado que não tenha vento. O forno _desligado, claro_ é a melhor opção, pois conserva melhor a temperatura.

Deixe lá por 8 ou 10 horas. Se preparou a colhada de manhã, com certeza ao voltar do trabalho, estará pronta. Se preparou à noite, sua manhã já vai ter coalhada.

Basta checar a consistência, que será firme, com um pouco de soro em cima e/ou em volta da coalhada.

Conserve em geladeira. Poderá degustá-la com mel ou açúcar no café da manhã, ou usá-la numa boa porção gelada de pepino com coalhada. Delícia para o verão.

RECEITA DE CHEF – Cuscuz de galinha ao sabor de Fábio Vieira

O Dia Internacional do Chef continua com Fábio Vieira, do restaurante Micaela, situado no Jardim Paulista, zona sul de São Paulo.

Apaixonado por ingredientes e técnicas da cozinha brasileira, Fábio traz sua versão do cuscuz de galinha para Cozinha Brilhante.

O prato pode ser feito rapidamente, cerca de 15 a 20 minutos, e tem grau de dificuldade médio.

Receita de cuscuz de galinha (2 porções):

Ingredientes:

  • 1 xícara de galinha cozida e desfiada
  • 2 colheres de sopa de escalivada (pimentões tostados direto no fogo, um de cada cor e depois picados)
  • 1 tomate picado brunoise

    Chef Fábio Vieira, do restaurante Micaela
    Chef Fábio Vieira, do restaurante Micaela
  • ¼ de cebola roxa picada brunoise
  • Ciboulete a gosto
  • 2 copos de caldo de legumes
  • 1 colher (sopa) de azeitonas azapa picadas (azapa é um tipo de azeitona preta)
  • 1 dente de alho
  • Farinha de milho amarela (quanto baste para que fique cremoso, aproximadamente 1 xícara rasa)
  • 1 dose de cachaça
  • Azeite para refogar
  • ½ colher de sobremesa de colorau

Modo de preparo:

  1. Leve a uma panela o azeite, refogue o alho, em seguida a cebola e o colorau incorporando-o bem para que não suba quando colocar o caldo.
  2. Em seguida coloque os tomates, a escalivada e a galinha desfiada.
  3. Flambe com a cachaça e coloque as azeitonas. Coloque o caldo de legumes e deixe ferver por alguns minutos.
  4. Abaixe o fogo e vá acrescentando a farinha aos poucos, pois ao cozinhar obteremos um cuscuz cremoso e não firme.
  5. No Micaela, Fábio coloca um ovo perfeito em cima _foram cozidos em termocirculador a 63ºC por aproximadamente duas horas. Em casa, quem não tem o equipamento, pode usar ovos cozidos _ou como preferir.

Belisque:

COMER COM OS OLHOS – Receita de frango ao molho de chocolate

10 passos para se alimentar de maneira saudável

Para quem não conhece, antes de abrir e comandar o Micaela, Fábio Vieira trabalhou no Restaurante Hofmann de Barcelona – uma estrela no guia Michelin; chefiou a cozinha do Casa Maria Madalena, onde também desenvolveu o conceito dos pratos _o que o levou a ganhar destaque e boas avaliações nos principais veículos da imprensa nacional.

Tem passagem por outros importantes restaurantes de São Paulo como o D.O.M e Tordesilhas. Em 2014, Fábio foi eleito chef revelação pela edição especial Comer & Beber da Veja São Paulo.

Restaurante Micaela - rua José Maria Lisboa, 228 – (11) 3473-6849.
Horários de Funcionamento: De segunda à sexta: almoço 12h às 15h30
e também das 19h às 23h. Sábado: almoço 12h às 16h30 e também das
19h às 23h. Domingo: fechado.

RECEITA – KitchenAid ensina a fazer tiramisù

A KitchenAid, objeto de desejo de muita gente que curte forno e fogão, aposta em receitas gostosas para que seus equipamentos rendam o máximo.

Queijo mascarpone, 250 gramas, R$ 29,90 na Banca do Ramon, aqui
Mascarpone 250g, R$ 29,90 na Banca do Ramon, aqui

Hoje aqui em Cozinha Brilhante é a hora e a vez do tiramisù. De origem italiana, é uma das sobremesas mais populares do país e ganhou amantes em todo o mundo.

Sofisticada, a base de café, queijo mascarpone e creme de leite fresco, é fácil de preparar e vai bem em qualquer ocasião. Principalmente depois de uma bela massa.

Batedeira planetária Stand Mixer da KitchenAid com 10 velocidades e 3 batedores, R$ 2.318,11 na Fast Shop, aqui
Batedeira planetária Stand Mixer da KitchenAid com 10 velocidades e 3 batedores, R$ 2.318,11 na Fast Shop, aqui

Ingredientes do tiramisù

  • 2 xícaras de chá de café forte e frio
  • 2 colheres de sopa de vinho Marsala
  • 2 colheres de sopa de rum
  • 5 gemas
  • 200g de açúcar
  • 200g de queijo mascarpone em temperatura ambiente
  • 150ml de creme de leite fresco
  • 300g de biscoito champagne
  • 4 colheres de sopa de cacau em pó para polvilhar
Os ingredientes que vão na receita de tiramissu
Os ingredientes que vão na receita de tiramisù

Modo de preparo:

  1. Na Stand Mixer da KitchenAid, bata o creme de leite em ponto de chantilly e reserve.
  2. Em seguida, bata as gemas com o açúcar até obter uma mistura esbranquiçada.

    Batedeira KitchenAid Stand Mixer Green Apple, R$ 2.374,05 na Amercanas, aqui
    Batedeira KitchenAid Stand Mixer Green Apple, R$ 2.374,05 na Americanas, aqui
  3. Adicione o mascarpone amassado com um garfo e misture delicadamente até obter um creme homogêneo.
  4. Sem parar de mexer, adicione o creme de leite batido e misture bem.
  5. Em um bowl separado, junte o vinho, o café e o rum e umedeça os biscoitos nessa mistura rapidamente, para que não se desfaçam.
  6. Forre com eles o fundo de uma forma retangular alta. Cubra os biscoitos com uma amada de creme. Disponha outra camada de biscoito e encerre com o creme.
  7. Cubra a forma com filme plástico e leve à geladeira por cerca de 4 horas.
  8. Antes de servir, polvilhe com cacau em pó.
Batedeira Planetária Kitchenaid Stand Mixer Cranberry Rosa, R$ 2.499 no Walmart, aqui
Na cor Cranberry  Rosa, R$ 2.499 no Walmart, aqui

Rende 6 porções.

Tá pronta a sobremesa italiana na mesa da sua casa!

 Cozinha Brilhante não se responsabiliza por alterações de preços em sites, lojas e promoções, assim como links inexistentes ou rompidos. Preços de 9 de agosto de 2016

 

Coalhada seca em 2 tempos

Nada como um boa porção de coalhada seca para se saborear em casa. No pão sírio, no francês, na torrada ou para acompanhar um quibe… hum, irrecusável!

Coalhada seca pronta para servir

Um pouco doce, um pouco azeda, um pouco densa. Ou mais para cremosa, não há quem diga não _exceto os intolerantes a lactose_ a uma porção bem temperadinha com azeite e zátar, ou pimenta do reino.

Mas a coalhada seca anda salgaaada…

Opa, não estamos falando do sal para temperar essa iguaria da culinária árabe. Mas do preço do prato vendido para viagem em restaurantes e rotisseries.

No Almanara, rede superconhecida e bastante frequentada em São Paulo, um pote com 200 gramas é vendido por R$ 20,50 _e isso na unidade da Praça da República, centro de São Paulo,  ou dos restaurantes dos shoppings. Ou do serviço de delivery de pedidos online. O preço é o mesmo.

Em outro tradicional, o Halim, situado no Paraíso, zona sul, um pote pequeno com 250 gramas custa R$ 12. Dá para três ou, estourando, quatro pessoas _como entrada ou acompanhamento.

Coalhada seca light Alibey em foto do site da empresaSe a gente for para o produto industrializado, no Pão de Açúcar online tem o pote com 300 gramas da marca Alibey na versão light que só vai chegar na sua casa por R$ 15,50. E na região da 25 de março, então… nem se fala: R$ 15,50 por 250 gramas no restaurante  Raful.

Então, o negócio é fazer coalhada em casa. Melhor da história: pouco trabalho e um pouco de tempo para que fique pronta.

Coalhada fresca

vale mais vai começar do começo: fazer uma boa quantia de coalhada fresca.

Você vai precisar de:

+ 1 copo de 170 gramas de coalhada.  Escolhemos o Ati Latte desnatado. Copo de coalhada fresca

+ 1 litro de leite que fica na geladeira do supermercado. Pode ser de saquinho ou embalado em garrafa de plástico branco.vale mais escolheu o Xandô desnatado. Nem tente leite de caixinha tetrapack: simplesmente não funciona.

+ Uma tigela de vidro tipo Marinex ou de louça.

1º tempo – fazer a coalhada fresca

Ferva o leite com o cuidado de mexer para não queimar na base da leiteira _cheiro e gosto de queimado ninguém quer, né?

Leite Xandô desnatadoDepois de fervido, verifique a temperatura – quando estiver entre o morno e o quente, ou quando você suportar o leite nas costas da sua mão sem queimar, é o momento certo para utilizar na feitura da coalhada.

Coloque o leite na tigela ou recipiente de vidro. Para um litro de leite, pegue 2 colheres de sopa cheias da coalhada comprada. Misture muito bem até dissolver.

Coloque a tampa do próprio recipiente ou utilize um prato que encaixe bem.

Envolva o recipiente com o leite ainda quente com uma toalha grossa e deixe em um canto sossegado que não tenha vento. O forno _desligado, claro_ é a melhor opção, pois conserva melhor a temperatura.

Deixe lá por 8 ou 10 horas. Se preparou a colhada de manhã, com certeza ao voltar do trabalho, estará pronta. Basta checar a consistência, que será firme, com um pouco de soro em cima e/ou em volta da coalhada.

2º tempo – o pinga-pinga da filtragem

Para fazer a coalhada seca, você vai precisar de muito pouco:

Jarra e pano de prato para filtragem

++ 1 pano de prato novo _lavado, obviamente.

++ 50 a 70 centímetros de uma fita ou barbante para amarrar.

++ 1 leiteira ou jarra com tamanho suficiente para conter a coalhada que você fez.

Coalhada fresca pronta para filtragemAmarração do saquinho de filtragemBem, agora é uma questão de jeito. Pegue o pano de prato e forre a leiteira. Coloque a coalhada dentro do pano de prato com a ajuda de uma colher ou concha.

Quando terminar, pegue a fita já separada, amarre o pano de prato, ainda dentro da leiteira, de maneira parecida a um ovo de Páscoa embrulhado. Deixe um pouco de espaço para não “apertar” a coalhada.

Escolha um canto na cozinha onde possa pendurar o saquinho com a coalhada. Use a leiteira para receber o pinga-pinga do soro da coalhada. Este processo vai rolar por horas.

Coalhada fresca em processo de filtragem

Pronto, de manhã cedo, ou depois de 6 ou 7 horas, está finalizada a sua coalhada seca: agora é só desamarrar o saquinho, que agora estará murcho, e guarda-la em um vidro ou louça com tampa.

2014-11-06 18.46.52Você vai notar que ficou bastante soro na leiteira _não jogue fora antes de ver se a coalhada ficou na textura desejada.

Há quem prefira a pasta bem densa. E sempre tem gente que aprecia mais cremosamente, mais leve. Se este for o seu caso, basta misturar uma ou duas colheres do soro de volta na colhada seca. Só isso.

Guarde na geladeira em recipiente de vidro ou louça, com tampa, ou pode ressecar.

Escolha um prato transparente ou com fundo que contraste com o branco da coalhada.

Acrescente azeite _opte por um com acidez baixa, sal e zátar ou hortelã em pó ou bem picadinha.

Coalhada secaSirva como entrada com pão sírio, francês ou torradas. Ou como acompanhamento de saladas, quibes ou carne. Delícia!

Por menos de R$ 5,50 coalhada seca para 6 pessoas. E sem gordura.

Bom apetite!

E você, costuma combinar esta pasta árabe com que comida? Conte prá gente e, se quiser, envie fotos para cozinhabrilhante@cozinhabrilhante.com.br.

Obrigada e até logo mais!

Conteúdo originalmente postado no blog parceiro vale mais.

Como fazer boeuf bourguignon com Julia Child

Depois da coluna do jornalista Ronaldo Victoria sobre o filme “Julie e Julia”, o mouse trabalhou bem para achar a própria chef Julia Child ensinando uma de suas receitas mais famosas _incluída no post COMER COM OS OLHOS – 2 Mulheres, 2 tempos, livro e blog.

Mastering the Art of French Cooking, Volume 1 e 2, The Essential Cooking Classics, em inglês, capa dura, na Amazon brasileira, R$ 390,83, aqui

Um luxo – relaxe e aproveite, o vídeo está no canal Cozinha Brilhante na playlist Recomendados da editora!

E se você quer ler essa receita _e muitas mais_, sua obra máxima, “Mastering the Art of French Cooking”, box com volume 1 e 2, em inglês, capa dura, está à venda na Livraria Cultura, aqui.

Obrigada e até logo!

DELÍCIA – Manu à mesa: muffins de cacau

Um bolinho, um muffin… De manhã, à tarde. Quem nunca? No rolê que faço em bons blogs, esta receita de muffin da Manu do blog Ao redor do sol com cacau deu aquela vontade de… comer. E fazer!

Então, forminha na mão e mão na massa!

Muffuns de cacau da Manu do blog Ao redor do sol
Muffins de cacau da Manu do blog Ao redor do sol

Ah, a Manu tem bom gosto, porque o contraste da cor do cacau com o pink das forminhas… uau!

ao redor do sol

muffins de cacau fofinhos (rende 9 muffins)

  • 3 ovos caipiras
  • 6 colheres de sopa de farelo de quinoa (ou de amaranto)
  • 6 colheres de sopa de leite de coco (ou qualquer leite vegetal ou leite de vaca, ué)
  • 3 colheres de sopa de cacau em pó
  • 3 colheres de sopa de açúcar de coco (ou o açúcar/adoçante que você preferir)
  • 3 colheres de chá de fermento em pó
  • 3 colheres de gordura de palma (mas pode ser óleo de coco ou manteiga)
  • extrato de baunilha caseiro

mistura tudo bem misturadinho e leva ao forno para assar.

para a cobertura:

  • 40g de chocolate 70% cacau, sem leite (eu uso o Gula Merah, com açúcar de coco, da Amma Chocolates)
  • 3 colheres de sopa de leite de coco caseiro (deixa o leite de coco por umas horinhas na geladeira – a gordura mais cremosa do leite vai ficar por cima, como um…

Ver o post original 39 mais palavras

NAVEGAR É PRECISO – A granola solar de Rita Taraborelli

Cozinha é uma aventura. Coisa que Rita Taraborelli sabe muito bem. Hoje Cozinha Brilhante traz o relato de como a multi-talentosa e jovem chef preparou sua receita Granola do Sol em um forno solar.

Granola do Sol feita em forno solar por Rita Taraborelli
Granola do Sol feita em forno solar por Rita Taraborelli

Uau! Você já viu um?

Para quem ainda não sabe, Rita não só cozinha: desenvolve receitas, escreve livros, bloga, desenha, pinta, ilustra livros, costura e arruma tempo para praticar yoga.

Rita vive se aventurando além-cozinha: há pouco foi ao México fazer suas pesquisas culinárias. Isso fora tantas outras viagens Europa adentro.

Granola na mesa!
Granola na mesa!

Para esquentar o projeto do seu futuro livro “Paz, Amor e Granola”, que está em crowdfunding para ser editado em breve (detalhes mais abaixo), a chef Rita resolveu testar sua recente aquisição para uma de suas 30 receitas de granola que pretende estampar na sua próxima obra.

Cena do filme que explica seu projeto do novo livro
Cena do filme que explica projeto do novo livro

A chef Rita conta no seu site Prato de Papel e aqui como foi a experiência com o forno solar, que, instalado no quintal de sua casa em Sorocaba (SP), assou muito bem os ingredientes.

“Já faz um bom tempo que eu queria um forno deste e no fim do ano passado decidi investir, principalmente para poder desenvolver as receitas de granola com ele também.

Temos um desidratador elétrico Excalibur para desidratar flores, ervas e preparar receitas de culinária viva mas sempre questionei o seu uso excessivo de energia elétrica. Me incomoda, e lá no fundo da mente o forno solar pulsava.

A primeira receita cobaia foi a Granola do Sol que no fim deu super certo para uma primeira tentativa. Coloquei a granola para assar às 13h15 e até 16h fui mirando o sol. Assim que parei de buscar o sol deixei o preparo dentro do forno por mais meia hora.

Rita ao lado do forno solar no quintal de sua casa, em Sorocaba, no interior de São Paulo
Rita ao lado do forno solar no quintal de sua casa, em Sorocaba, no interior de São Paulo

É muito interessante pois a energia muda e o tempo se estende, é muito legal.

Ela dourou de leve e no fim deixou escapar um cheirinho irresistível do forno.

O sol é uma energia super poderosa e ainda pouco explorada na cozinha, até hoje o sol é mais usado para desidratar alimentos (que também é muito legal) mas o forno possibilita a maior concentração de calor para preparos mais complexos, não vejo a hora de fazer um pão fermentado!

A Granola do Sol foi servida com fatias de caqui maduro e um creme de manga:
* 1 manga madura
* suco de 1 limão-cravo
* 2 sementes de cardamomo sem casca

Para a granola procurei usar ingredientes que se relacionam bem com o sol, como amaranto, semente de girassol, óleo de coco, cúrcuma, semente de cacau e outros.

+ PRATO DE CHEF – Açaí com banana mais granola com energia de Rita Taraborelli 

Apesar de desenvolver as últimas receitas no forno solar, vale lembrar que elas também são aptas para o forno convencional.”

A Granola do Sol faz parte do livro “Paz, Amor e Granola”, projeto independente da Rita inédito em financiamento coletivo através do site Catarse. O livro tem 30 receitas de granolas _isso mesmo, só de granolas_ para se fazer em casa.

Será todo ilustrado e impresso em serigrafia em um processo completamente artesanal. Além da autora, uma equipe com vários profissionais está envolvida para fazer a obra acontecer.

Rita com seus livros
Rita com seus livros

Quem quiser financiar, tem contribuições a partir de R$ 25 para o livro digital e R$ 75 para o impresso (incluindo o envio). Há também contribuições de valores maiores que vão até R$ 6 mil _que incluem recompensas, como funciona o Catarse.

O prazo final para quem quer garantir o livro e ser financiador da Rita vai até o último segundo do dia 10 de abril, próximo domingo. Sedutor!

Aqui: www.catarse.me/granola

» Cozinha Brilhante não se responsabiliza por
alterações de preços e ausência de produtos nas
lojas e sites, assim como por links inexistentes
ou inválidos, tampouco por informações transmitidas
com incorreções.