COMER COM OS OLHOS – Os canapés da linda mulher

por Ronaldo Victoria

Poucos filmes marcaram tanto uma década quanto “Uma Linda Mulher”.

É a cara dos anos 90, com sua história que já foi definida como uma versão moderna da Cinderela. Na época do lançamento, alguns críticos torceram o nariz, mas de nada adiantou. Com o tempo tornou-se um dos maiores clássicos da comédia romântica.

Os fãs crescem a cada geração e Julia Roberts, então uma atriz praticamente iniciante, virou uma estrela e foi indicada ao Oscar. Ela interpreta Vivian, uma jovem prostituta que faz pontos nas ruas de Hollywood.

Uma noite ela conhece o charmoso executivo Edward (Richard Gere), que a convida para ser seu par durante uma temporada de negócios.

Aí que entra um mundo novo para a moça, incluindo a alta gastronomia. O tema entra em “Uma Linda Mulher” de forma episódica mas marcante, como na cena em que Vivian se atrapalha toda com a pinça para comer escargot (claro que ela nem sabia de que se tratava).

Logo no começo, para mostrar o círculo elegante de Edward, aparece uma festa em que são servidos canapés especiais, que são o tema da receita que trago abaixo.

Canapés em foto do site Tastemade Brasil
Canapés em foto do site Tastemade Brasil

Uma Linda Mulher

Julia Roberts faz uma prostituta no filme

Título original: Pretty Woman

Estados Unidos, 1990

Direção: Garry Marshall

Elenco: Richard Gere, Julia Roberts, Hector Elizondo, Laura San Giacomo, Ralph Bellamy

Duração: 119 minutos – Gênero: romance

  • Filme 🍳🍳🍳🍳
  • Pratos 🍳🍳🍳🍳
  • Dificuldade em fazer os pratos 🍳🍳🍳🍳

Receita de canapés:

A receita foi criada pela chef Isadora Becker, do site Tastemade Brasil. Usa biscoitos coquetel como base, mas que podem ser substituídos por torradas. O efeito será sempre de primeira.

Ingredientes:

  • O casal já apaixonado na comédia romântica que fez muito sucesso

    ½ dente de alho sem o broto

  • 200g de azeitonas pretas sem caroço
  • 2 colheres de sopa de alcaparras
  • 3 anchovas em conserva
  • Suco de limão a gosto
  • Azeite de oliva a gosto
  • Pimenta preta a gosto
  • 250g de ricota em creme
  • 1 pacote de biscoitos coquetel
  • Manjerona

-Uma Linda Mulher, DVD especial de 15 anos do filme, R$ 15,90 na Livraria Cultura, aqui
Modo de preparo:

  1. Pique e amasse o alho com a faca. Pique bem as azeitonas, as alcaparras e as anchovas.
  2. Leve a uma tigela junto com o alho. Tempere aos poucos com suco de limão de acordo com sua preferência.
  3. Regue com azeite de oliva até que fique na consistência indicada no vídeo. Espalhar meia colher de chá de ricota cremosa em cada biscoito e dispense uma colher de café bem cheia em cima. Decore com uma folha de manjerona.

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

*A foto em destaque é do site Rotten Tomatoes.

COMER COM OS OLHOS – Receita para adoçar uma chef durona

por Ronaldo Victoria

Quase todas as críticas sobre “Sem” Reservas à época de seu lançamento (2007) destacaram que é muito agradável, mas previsível.

Pergunto: algum problema nisso?

Taça de vinho no centro da cena de "Sem Reservas"
Taça de vinho no centro da cena de “Sem Reservas” (site Rotten Tomatoes)

É uma história que se acompanha com muito interesse e isso não é  sempre que se tem.

COMER COM OS OLHOS – Um chef de muitos pitis à procura de redenção

A produção é uma adaptação para os Estados Unidos de um filme alemão de 2001, “Simplesmente Martha”. A profissão da personagem principal não é um detalhe, mas algo que define a história.

Catherine Zeta-Jones no papel de Martha
A beleza de Catherine Zeta-Jones se destaca na Martha que ela interpreta

No enredo original, Martha é uma chef de cozinha temperamental quase totalmente dedicada às suas panelas e receitas. Até que a irmã morre e ela precisa cuidar de uma sobrinha.

No filme, um chef gato interpretado por Aaron Eckhart
No filme, um chef gato interpretado por Aaron Eckhart

Ao mesmo tempo, encara a companhia de um italiano simpático que vai trabalhar no restaurante contra a vontade dela, claro.

Na versão para Hollywood, tudo ficou mais glamurizado.

A heroína, agora chamada Katie, ganhou o rosto e a beleza de Catherine Zeta-Jones. Ela é uma estressada chef de um restaurante elegante de Nova York e não tem tempo para mais nada.

Catherine e Abigail Breslin no "Sem Reservas"
Catherine e Abigail Breslin no “Sem Reservas”

A sobrinha agora é vivida pela gracinha Abigail Breslin, pouco antes de ser “Pequena Miss Sunshine”.

E o rival não é mais um italiano gordo e bonachão, mas sim Nicholas, que estudou gastronomia na Itália e é interpretado pelo bonitão Aaron Eckhart.

O casal romântico em um roteiro previsível. E daí? É bom
O casal romântico em um roteiro previsível. E daí? Prende a atenção

Claro que com o tempo os dois adoçam o coração da chef durona e a receita fica mais suave que a original, que tinha toques feministas.

Na direção, o australiano Scott Hicks, que dirigiu “Shine – Brilhante”, conduz tudo com mão segura.

E as receitas do filme são mesmo de dar ataques de gula.

“Sem Reservas”

Prato do filme "Sem Reservas"
Prato do filme “Sem Reservas”

Título original: “No Reservations”

Estados Unidos, 2007 – Colorido

Direção: Scott Hicks

Roteiro: Carol Fuchs

Elenco: Catherine Zeta-Jones, Aaron Eckhart, Abigail Breslin, Zoe Kravitz, Patricia Clarkson

Duração: 104 minutos – Gênero: romance

A receita de maior destaque de “Sem Reservas” é um Tiramisu, famosa sobremesa italiana, de dar água na boca dos espectadores. E, de quebra, adoça a vida protagonista.

Como receita escolhi uma versão de tiramisù que colhi no site M de Mulher):

Ingredientes:

  • 1 xícara (café) de rum
  • 2 xícaras (café) de café pronto
  • 1/3 de xícara de açúcar
  • 12 biscoitos do tipo champanhe quebrados ao meio
  • 3 ovos (claras e gemas separadas)
  • 200 g de mascarpone
  • 1 colher (sopa) de cacau em pó
  • 40 g de chocolate
Tiramussù, sobremesa italiana parte do enredo de "Sem Reservas" foto do blog M de Mulher
Tiramussù, sobremesa italiana parte do enredo de “Sem Reservas” foto do blog M de Mulher

Modo de fazer:

  1. Em uma panela pequena, aqueça o rum.
  2. Adicione o café e 1 colher (café) de açúcar, mexendo sempre.
  3. Banhe os biscoitos nessa mistura até ficarem bem encharcados. Reserve.
  4. Em uma tigela, misture as gemas com o restante do açúcar. Leve ao fogo em banho-maria, mexendo sempre, até dobrar de volume e obter um creme.
  5. Reserve. Bata as claras em neve e adicione ao creme.
  6. Acrescente o mascarpone e mexa delicadamente até obter uma espuma homogênea.
  7. Em taças, alterne camadas do creme e dos biscoitos molhados.
  8. Finalize cada uma com um pouco de cacau em pó e lascas de chocolate.

RECEITA – KitchenAid ensina a fazer tiramisù

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

*Fotos do site de cinema Rotten Tomatoes,
da página do filme no Facebook e do
trailer do filme "Sem Reservas"

COMER COM OS OLHOS, RECEITA – Do grão de bico se faz omelete

por Ronaldo Victoria

Uma das cenas mais marcantes do filme “A 100 Passsos de Um Sonho”, que abordei aqui recentemente na coluna COMER COM OS OLHOS, é aquela em que Madame Mallory, interpretada pela oscarizada Helen Mirren, experimenta a omelete preparada por indiano Hassan e tem como uma epifania ao ver que uma receita tradicional pode sim ser mudada.

Cena do filme que mostra a preparação de uma omelete
Cena do filme que mostra omelete sendo preparada

E melhorada.

Trago aqui a receita de omelete de grão de bico do blog Tempero Alternativo:

Ingredientes:

  • 1 ½ xícara de grão de bico cru
  • 1 colher de sopa de páprica doce
  • 3 colheres de sopa de óleo vegetal
  • ½ colher de chá de pimenta picada
  • ¾ de xícara de salsinha (ou coentro, como no filme)
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 cebola pequena
Grão de bico por Judith Doyle, abril de 2013
Grão de bico por Judith Doyle, abril de 2010*

Como fazer:

  1. Coloque o grão de bico de molho na água por no mínimo 10 horas para hidratar. Adicione bastante água porque os grãos vão dobrar de tamanho;
  2. Depois, escorra a água e coloque o grão de bico no liquidificador com 1 ½ xícara de água limpa, 3 colheres de sopa de óleo vegetal e sal. Triture tudo até ficar homogêneo;
  3. Transfira a massa para um recipiente e tempere. Adicione a páprica, a pimenta picada (se estiver usando), a salsinha (ou coentro) também picada, e a cebola, que pode ser picada em cubinhos ou em pedaços maiores como no filme;
  4. Aqueça um fio de óleo na frigideira e espalhe a massa sobre.
  5. Deixe fritando até as bordas dourarem e a massa desgrudar da frigideira. Vire e frite do outro lado.

Dicas:

➡ Use uma frigideira média ou pequena para se ter mais controle na hora de virar o omelete sem se despedaçar.

➡ Não coloque muita massa de uma só vez a ponto de deixar o omelete com espessura grossa, porque assim irá demorar mais para fritar, aumentando as chances de queimar.

➡ Essa receita rende bastante massa, então você pode guardar o que sobrar na geladeira e fazer no dia seguinte.

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

Foto do blog Tempero Alternativo e *com licença Creative Commons.

NÃO PERCA – Amanhã na coluna COMER COM OS OLHOS, o encontro de duas cozinhas distintas separadas por apenas 100 passos

Amanhã, na coluna COMER COM OS OLHOS, os choques que vêm quando a tradição da cozinha francesa encontra a renovação da cozinha de uma família indiana.

COMER COM OS OLHOS – Uma pitada de tempero

por Ronaldo Victoria

Especiarias são uma boa desculpa para se fazer um filme excelente. Foi o que abordei na coluna passada: COMER COM OS OLHOS – Por uma vida bem temperada.

Ao pesquisar sobre temperos, me deparei com este trabalho muito bacana do site Coletivo Verde, que reproduzo aqui:

Por que os temperos, chamados de especiarias, eram tão cobiçados na Europa durante o tempo das Grandes Navegações? Em primeiro lugar, pela simples razão de que não podiam ser cultivados em solo europeu, por causa do clima frio. Em segundo lugar por uma questão econômica, já que a burguesia estava crescendo e as especiarias eram consideradas produtos de luxo.

Ou seja, o sabor de uma comida bem temperada é algo raro. Por isso, é legal conhecer esses temperos e saber como podem ser utilizados em seus pratos sem riscos:

Açafrão: Empresta sua cor vibrante para arroz, sopas, saladas e pães. Tem um perfume especial

Temperos do Rio, Diego Dacal, julho de 2010
Temperos do Rio, Diego Dacal, julho de 2010

Alecrim: O rei do perfume, seu aroma combina bem com massas.

Coentro: Muito utilizado no Nordeste, tem sabor marcante. Combina com peixes, frutos do mar e legumes.

Cravo: Sabor doce, quase quente. Ideal para arroz-doce, pão de mel, pudins e compotas.

Cardamomo: Pelo perfume e sabor refrescante, é muito usado em pães, pratos com frutas, batatas e pratos indianos.

Canela: Saboriza compotas, marinados, picles, ensopados, bolos, pães e biscoitos.

Cominho: É essencial no curry. Também utilizado em legumes, ovos, sopas e pães.

Dill: Com o sabor mais voltado para o anis, é mais indicado para peixes em geral e omeletes.

TemperosErva doce: É ideal para saladas, além de peixes grelhados ou cozidos em papelote.

Estragão: Bom para o preparo de molhos, pratos com ovos, saladas e sopas.

Mostarda: Fica uma delícia acompanhando batatas cozidas e também em conservas.

Noz moscada: Ideal para doces e massas. Mas só deve ser ralada na hora da utilização.

Páprica: Utilizada no lugar da pimenta seca, dá um sabor especial ao prato.

Sálvia: Seu sabor ligeiramente amargo combina com legumes secos, queijos e molhos.

Tomilho: Apreciado na culinária europeia, enriquece sopas, molhos de tomate e legumes em geral.

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

*Foto de Diego Dacal com licença Creative Commons.

COMER COM OS OLHOS – Por uma vida bem temperada

por Ronaldo Victoria

Saber usar –e principalmente conhecer– os temperos é que garante uma experiência gastronômica bem-sucedida. E, de quebra, deixa a vida mais agradável.

Essa é a tese defendida pelo filme grego “O Tempero da Vida”, um grande sucesso no circuito de cinema de arte e um bom exemplo da gastronomia como atração na tela grande.

A história é centrada no turco Vassilis (Tassos Bandis), dono de uma loja de temperos em Istambul. Patriarca de uma família de raízes gregas, ele transmite seus conhecimentos ao neto Fanis (Markos Osse e depois Georges Corraface).

O turco ensina os mistérios dos condimentos e a poesia que existe na culinária. Não demora para o garoto ficar apaixonado.

Fanis aprende que os alimentos despertam não apenas o paladar das pessoas, mas todos os outros quatro sentidos, até a audição. E que do resultado bom ou ruim das receitas depende muitas vezes o humor de quem as aprecia.

Cena de "O Tempero da Vida"
Preparando os pratos, cena de “O Tempero da Vida”

Tudo corre bem até que acontece uma crise diplomática entre Turquia e Grécia e o menino precisa viajar com os pais, deixando o avô, que poucas vezes viaja para rever o neto.

Em Atenas, Vassilis esquece as lições do avô, deixa a gastronomia de lado e passa a se dedicar à astronomia.

De repente, porém, sente que sua vida ficou sem graça. E precisa fazer alguma coisa.

“O Tempero da Vida” fala de coisas que todos compreendem, já que é comum uma pessoa apagada ser chamada de “sem sal”. Falta tempero, falta cor na vida dela.

E os condimentos não são importantes? É bom não esquecer que as especiarias eram disputadas a tapa pelas grandes potências. Resumindo: é um filme a ser revisto ou descoberto.

O Tempero da Vida, filme que chamou a atenção da crítica e do público
O Tempero da Vida, filme que chamou a atenção da crítica e do público

“O Tempero da Vida”

Título original: Politiki Couzina

Grécia, 2003, Colorido

Direção e roteiro: Tassps Boulmetis

Elenco: Georges Corraface, Tassos Bandis, Markos Osse, Renia Louizidou, Ierokis Michaelidis

Duração: 108 minutos, Gênero: romance

 

➡ Ronaldo Victoria é jornalista, fundador e editor do blog Cinema É Vida, onde comenta produções desde os pioneiros do cinema, os Irmãos Lumière, até lançamentos recentes.

NÃO PERCA – Amanhã na coluna COMER COM OS OLHOS, um filme sobre temperos e a vida

Amanhã, na coluna COMER COM OS OLHOS, um filme sobre o saber dos temperos certos _para uma vida com sal.

O sal é tempero importante
O sal é tempero importante